SHARE
 
O JOGO
 
Quando se popularizou a luva de vime, material de pouca resistência para resistir ao golpe da pelota, a técnica mudou.

Primeiro o pelotari recolhia e parava a pelota na luva com um movimento hábil e bem controlado de retrocesso, imediatamente depois, tendo a pelota em seu centro, esta era jogada no sentido em que era tecnicamente mais conveniente. Esta técnica facilitava o jogo e por essa razão se espalhou rapidamente não somente entre jogadores "de praça livre", mas também entre os profissionais dos frontões modernos, do "ble", em que os jogadores colocados na frente do fronte lançavam a pelota em turnos sucessivos.


Ao ocorrer essa transformação da ferramenta e da técnica, os meninos novos inventaram o "share" que vem a se reduzir a uma haste de madeira vegetal fresca, flexível, que é torcida sobre suas duas extremidades para depois serem amarradas juntas com uma corda, e a superfície oval era coberta por uma rede que eles facilmente teciam. Esta ferramenta que podemos definir como uma raquete, tomou o nome de share que em basco significa "rede".

Mas por causa da perfeição e dos melhores rendimentos das novas ferramentas que estavam aparecendo no cenário da pelota basca (chistera, cestas-mausser, palas, remontes), se abandona o uso dessa primitiva raquete o "share".

No País Basco esta ferramenta se refugiou em alguns poucos locais, principalmente em torno de Saint-Palais, onde era praticado com grande entusiasmo na escola dos Hermanos de Betharram.

Em Guipúzcoa se concentravam alguns centros de aficionados em torno de Pamplona e em outras cidades perto de Villabona, talvez pela influência do "joko-garbi", que é base do jogo do "rebote".


Após o êxodo do jogo de pelota basca às terras americanas, o "share" floresceu e enraizou especialmente no Uruguai e na Argentina. Onde, embora conservando sua essência, aperfeiçoaram a ferramenta, dando lhe um maior comprimento e selecionando os materiais para o aro exterior e para o tecido da rede.

Continuaram cultivando a modalidade até se converterem em campeões mundiais.
 


ESTRATÉGIA
 
A estratégia do jogo se resume em ganhar a ofensiva a fim de controlar e garantir o ponto.

Para que isso ocorra é necessário:
  • neutralizar o atacante (delantero) não deixando a bola em seu alcance porque como este fica mais próximo do fronte, pode jogar as bolas com mais precisão, velocidade e efeito, sendo assim fazer com que o seu adversário responda no fundo da quadra limita sua vantagem e o perigo da jogada;
  • manter a bola junto a parede lateral para dificultar a recepção e para restringir os movimentos do adversário;
  • a seleção de bolas também é um fator que influencia a estratégia porque antes de cada saque é oferecido ao sacador a possibilidade de escolher uma entre as bolas disponíveis (sempre existem bolas mais rápidas e mais lentas);
  • defender a grade (ver indicação da janela com grade no esboço da quadra) para que o adversário não ganhe o ponto.
 
 


EQUIPAMENTOS
 
Ferramenta:
      maderial: aro de madeira e corda trançada de
                     maneira simétrica e não muito firme
      comprimento máximo: 55 cm
      largura máxima: 16 cm



Pelota:
      peso do núcleo: 20 g
      peso total: 82 g
      diâmetro: 55 mm
 


QUADRA
Comprimento: aprox. 30m
Altura: 10m
Largura: aprox. 10m
Comprimento Telhadinho: aprox. 30m
Altura Telhadinho: aprox. de 1,9m (baixo) a 2,4m (alto)
Largura Telhadinho: 1,45m

Saque: 20m
Passa: não se aplica
Falta: 20m

Para ver fotos da quadra, clique aqui.
 


REGRAS
 
  • em uma partida oficial 6 bolas ficam disponíveis para seleção pelos jogadores durante o jogo, sendo que cada equipe fornece 3 bolas;
  • antes de cada saque o sacador deve avisar a equipe adversária;
  • a cada ponto, a equipe que ganhou tem o direito de escolher a bola de jogo antes do saque;
  • uma equipe perde o ponto no saque se: o saque não é finalizado; o saque se realiza fora dos limites da quadra; se a bola não ultrapassa a linha de "falta"; e se a bola toca em qualquer chapa delimitadora de jogo;
  • pontos por partida: 40;
  • a bola pode pingar um número ilimitado vezes sobre o telhadinho;
  • se a bola pingar no piso e depois bater na grade do telhadinho é ponto da equipe que fez a jogada, caso contrário é ponto da equipe adversária;
  • o saque deve ser feito da esquerda para a direita respeitando a linha longitudinal que divide a quadra em duas partes desiguais;
  • a bola só pode tocar no piso uma única vez antes de um membro da equipe realizar a jogada, e depois até ela bater no fronte não pode tocar no piso;
  • a bola não pode ser retida no share durante a realização de uma jogada;
  • em partidas oficiais o uniforme de jogo é composto por calça branca, tênis branco, camisa polo vermelha ou branca (a ser decidido em função do mando de jogo), faixa (cinta) vermelha ou azul, capacete branco e protetor de olhos (uma espécie de óculos de proteção);